Blog

Quando e porque devo reposicionar minha marca?

05 / ago / 2017

Não é raro vermos empresas sólidas terem marcas que já não condizem com seu porte, muito menos com os valores que ajudaram a construir seu sucesso.

Muitas vezes o empresário é relutante em mudar e isso é normal, pois o empreendedor cria uma relação de amor com a marca, já que ela é a representação gráfica de todo o suor investido em seu sonho. Mas é preciso entender que mais que acompanhar as mudanças do mercado, marcas mudam para atender as expectativas de seus clientes, evoluem para incorporar a sua imagem valores importantes para o negócio. Basta lembrarmos que a marca deixou de ser uma simples representação visual para ser síntese de significados.

Uma marca coerente é um ativo de valor que influencia na reputação, desempenho de negócios e expansão da empresa. A presença de determinada marca em uma embalagem acessa todas as informações construídas a respeito daquela instituição. A identidade e reconhecimento de uma marca não consistem apenas em um sistema visual concreto liderado por um símbolo ou um logotipo.

A dimensão da comunicação da marca se aplica a todo sistema conceitual, estratégico e funcional que envolve sua empresa, e se bem realizada fará com que seu símbolo identificador consiga ser a chave de acesso de todo esse universo de conteúdos, produtos e atitudes que a representam. Este artigo é um convite a reflexão sobre a importância de energizar sua marca. Logo abaixo citaremos 3 riscos de mantermos uma marca inadequada.

 

Energize sua marca!

Uma marca antiquada corre três riscos:

1. Quando se tem uma marca envelhecida ela perde visibilidade, então é menos provável que seja considerada, condição necessária para ser relevante.

2. A perda de relevância pode levar a marca a ser considerada insossa, cansada, antiquada e desatualizada. A marca não se encaixa mais na autoimagem ou estilo de vida do cliente, tem benefícios sociais ou autoexpressões negativos e/ou saiu de moda.

3. A perda de identidade da marca com o momento vivido pela empresa pode levar a perdas de elementos de imagem cruciais.

Somente após alinhar todos os propósitos de mudança será possível decidir quais são as estratégias que conduzirão todas as decisões e manifestações da marca, indo desde a remodelagem do negócio, gestão, definição do portfólio de produtos e serviços, produção e até a criação de novos produtos e comunicação. Mudar a marca pode ser apenas o primeiro passo para preparar a empresa para o futuro.

 

Fontes: Aaker, David. On Branding. Consolo, Cecília. Marcas, Design estratégico.
voltar